quinta-feira, 9 de novembro de 2017

EU, UM MUTANTE!

"O Despertas dos Mágicos - introdução ao realismo fantástico" foi escrito em 1960 pelos franceses Louis Pawels & Jacques Bergier, 12 anos mais tarde os franceses Deleuze & Guattari repetem o mesmo feito com "O Anti-Édipo - capitalismo e esquizofrenia", escrito em 1972. É interessante notar que os primeiros escancararam o conceito de Inteligência relacionando-o com as "sociedades secretas" cuja percepção só era legada aos "esquizofrênicos" e sua "paranoia social" com destino garantido aos hospitais psiquiátricos. A esquizofrenia passa então a ser vista como um estado de percepção, um despertar do "realismo fantástico", tipo uma "experiência mistica" que vai levar a uma "enfermidade" ou "genialidade" dependendo da integração "negativa" ou "positiva" da experiência respectivamente. É aqui que entra Deleuze & Guattari cujo "Anti-Édipo" denuncia a Psicanálise como uma Instituição que controla as "Portas da Percepção" induzindo negativamente a experiência mistica de "Despertar dos Mágicos" produzindo a esquizofrenia como doença social. Sendo assim há um outro estado da esquizofrenia que integra a experiência do "despertar" positivamente ameaçando todos os tipos de "sociedades secretas" por conseguir entender o "Segredo" que jaz no "Realismo Fantástico", libertando a mente da prisão estabelecida pela "linguagem das imagens de TV". É nesse sentido que se pode falar em "Reforma Psiquiátrica" e pedir o fim dos manicômios, mas sem esse entendimento da nossa Inteligência nunca iremos reformular instituição alguma e a sociedade continuará conspirando em favor de poucos, afinal somos um experimento Cibernético criado dentro do "Realismo Fantástico" e por isso podemos Despertar a qualquer momento e comprometer toda a estrutura social do seu caleidoscópio fantástico! 

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

EU SOU UM CIBORGUE!

Como é bom poder está acima da "identidade de gênero" e ter pulmões para voar sobre uma sociedade completamente escrava da ciência política que insiste em aplicar Ideologias nas mentes vazias dos cidadãos abrindo seus corpos para manipulações cibernéticas advindas dos enunciados científicos divulgados pela Linguagem das imagens de TV. Toda uma "Pedagogia dos Monstros" surge não como uma ferramenta de educação, mas antes como um "manual de sobrevivência" da Inteligência Inumana, porque o ser Humano já foi dissolvido pela Criptocracia Social.