segunda-feira, 27 de março de 2017

Frequencies Official Trailer (2014) - Science Fiction Movie HD

H/E/T/E/R/O/S/S/E/X/U/A/L/I/D/A/D/E

Passagem através do espelho / Encontro com a natureza do outro lado / Zigoto / Protótipo do binômio chamado homem / União dos opostos / princípio andrógino da natureza. / Morte do ego / Crepúsculo
O problema se coloca quando a simulação edipiana fecha a passagem do espelho e insere o indivíduo no programa de perpetuação da espécie. Tem-se filhos como se fabricam carros. O sentido da travessia toma um rumo contrário da percepção natural dos sexos opostos que leva ao Andrógino. A pessoa torna-se vulnerável aos códigos maquínicos de simulação edipiana que determinam os gêneros, aplicando assim um mecanismo de separação entre ambos, gerando a Guerra dos Sexos! Enquanto houver essa “guerra dos sexos opostos” nunca irá existir paz no mundo. É por isso que temos que quebrar a máquina de simulação freudiana que dita como nossos corpos devem funcionar, impedindo-nos de chegarmos a nossa verdadeira natureza andrógina desejante. Lembrem-se, a H/E/T/E/R/O/S/S/E/X/U/A/L/I/D/A/D/E é apenas uma passagem. Portanto não é uma determinação biológica. Decifrem os códigos!

domingo, 26 de março de 2017

H/O/M/O/S/S/E/X/U/A/L/I/D/A/D/E

Passagem através do espelho / Encontro com a natureza do outro lado / Zigoto / Protótipo do binômio chamado homem / União dos opostos / princípio andrógino da natureza. / Morte do ego / Anne Rice. O problema se coloca quando se quer voltar do outro lado do espelho como se agora houvesse lado. Uma vez atravessado o espelho não há mais volta. Tudo vira transcendental, mágico. Daí o símbolo A/L/E/G/R/E que os homossexuais receberam, mas os homossexuais que receberam esse símbolo como realidade atenderam a um falso chamado de volta da abertura do espelho. Passaram a simular um criptograma A/L/E/G/R/E de realização de todas as fantasias possíveis e impossíveis. Como pessoas que cheiram gasolina só para provar o impossível e morrerem de prazer literalmente. Lembrem-se: a H/O/S/S/E/X/U/A/L/I/D/A/D/E é apenas uma passagem. Portanto não é uma determinação biológica. Decifrem os códigos!

sábado, 25 de março de 2017

CICLOTRON: ESCOLA DE SURF, ARTE, FILOSOFIA e PSICOLOGIA

Nossa “AFROCIBERDELIA” encontra-se em estado de espera para o acontecimento real que só encontramos no jornal. Enquanto isso somos todos fantasmas a espera de uma janela midiática que nos suguem para dentro da hiper-realidade dos aparatos de comunicação de massa nos trazendo a vida. Espetacular sociedade que simula a realidade tornando o impossível possível. Mas, é preciso abrir passagens e isso ninguém nos ensina e ficamos na fila de espera eterna na esperança de encarnar no mundo real. Alguns, impacientes, pegam em armas e fazem abrir as passagens para o mundo real. Melhor que ser fantasma pro resto da morte – pensam eles uma vez que já estão mortos mesmo. Enquanto isso as drogas alimentam as filas de espera para o mundo real no intuito de aliviar a demora. Roda viva do buraco-negro mágico-capitalista. O mundo real é o mundo do dinheiro. O mundo de quem sabe abrir e fechar janelas, ilusionistas simulando um mundo mágico de infinitas possibilidades. Mas, quem sabe jogar? Quem sabe fazer dinheiro? Dinheiro se faz, é assim que se ganha. Os panacas roubam! Quem consegue enxergar as cartas do jogo? Vivo ou morto, virtual ou real, uma coisa é certa: precisamos de escolas que nos ensinem a fazermos dinheiro/mágicas, apenas com o pensamento. É muito simples: basta desligarmos a máquina de projeção cinematográfica edipiana que Freud e a Psicanálise insistem em projetar nas nossas cabeças através da comunicação de massa simulando o entretenimento como realidade natural – 22º axioma capitalista: consumo é produção. Não existe mais realidade natural, tudo virou artifício, possibilidades mágicas de produção material ao infinito. Foi isso que Disney nos mostrou em todos os seus desenhos animados. Como fazer mágica e dela obter dinheiro pelo simples fato de distribuir riquezas a partir da sua magia de ser e está no mundo. É mais ou menos isso que o psicanalista Joel Birman deve fazer nas suas analises dos “estilos”.... Mais ciência, menos mágica, claro!

sexta-feira, 24 de março de 2017

First 5 Minutes of: GHOST IN THE SHELL (2017) Clip

DEPRESSÃO_TEM_CURA

A Depressão é um "estado mental" onde a pessoa não consegue enxergar um futuro na sua vida e paralisa sobre uma "nuvem negra" acima da cabeça. O que provoca essa "nuvem negra" são acúmulos de "tempos psicológicos" adquiridos nas relações sociais que vão minando perspectivas de futuro da pessoa envolvida nessas relações. Por isso ela (a nuvem) vai chegando como quem não quer ficar até envolver completamente a pessoa na sua atmosfera. É preciso muita dedicação do paciente e um bom mestre "Iogue" para conseguir remover essa "nuvem negra" inserindo a prática da "Meditação" como solução. Ou se o paciente preferir os inibidores de conexões neurais basta ir a um Psiquiatra e pedir para receitar um "anti-depressivo" correndo o risco de ficar demente. 

A "Depressão" tem cura com a prática da "Meditação". Porém, como a "meditação" está na "moda" vemos muitas pessoas instruindo sem de fato serem "Mestres". Ser "Mestre" nessa arte significa ter anos de prática, dedicação e ter tido (no mínimo) uma experiência mistica (iluminação), porque esse é o objetivo dessa prática. No entanto para curar-se da Depressão não precisa tornar-se um "mestre", basta ser instruído por um e se dedicar a sua prática. Outra coisa que noto quando se fala em Meditação e logo as pessoas criam resistência é quanto ao seu conceito. Muitas acham que "meditar" é se concentrar e programar a mente para só pensar positivamente. Isso é um estado avançado da Meditação. Meditar basicamente é fazer "calar" a mente e para se conseguir isso utiliza-se a "respiração" como técnica, simples assim! Então você apenas terá que se dedicar a praticar as técnicas de respiração que seu "mestre" ensinar para eliminar o acúmulo de "tempo psicológico" estagnado em seu cérebro através de "pensamentos negativos" provocado por relações sociais mal intencionadas. 

Eu tive minha experiencia mistica (iluminação) após 10 anos de prática de Surf, depois ingressei na faculdade de Psicologia e agora sou mestre em "Meditação Pranayama" após um curso de Meditação com a Indiana "Rajshree Patel" pela "Fundação Arte de Viver". Estou fundando a minha própria escola de "Zen_Surfismo" onde trabalho: psicomotricidade, surf, meditação, kung-fu e tai chi. Tudo no estilo "Águia do Sul" porque nós somos pássaros feitos para voar. Fiquem com Deus e lembrem-se: depressão tem cura!

quarta-feira, 22 de março de 2017

ZEN_SURFISMO

Que silêncio ensurdecedor!
Continuem fazendo barulho.
Agora estamos atravessando o vale da morte.
Onde a morte cheira vida.
Luz acesa anunciando um novo amanhecer.
Aurora da minha vida, aurora querida.
Conto os dias da tua chegada.
Quando na madrugada.
Vem surgindo o esplendor de uma nova morada.
Querida de comunhão.
Gravitação.
Acabou a alienação.
Derrubem os portões.
Das delegações.
Instituições.
Porcalhões.
Vou fazendo a lição.
Criação é a carta magna da solução.
Esperando o clarão.
Vou fazendo minha canção.
De antemão.
Não trago a solução.
Sou mensageiro dessa agitação.
Surf-base no pé.
Não tem lugar pra Mané.
Olha o jacaré.
Na maré.
Do abecedário deleuziano.


terça-feira, 21 de março de 2017

A VERGONHA DE SER UM HUMANO: HAVERÁ RAZÃO MELHOR PARA ESCREVER?

A Metapsicologia é uma ilusão porque a verdade é destrutiva. Então ela é uma fábula, uma elaboração do sujeito moderno que instaura o recalque quanto a sua condição incestuosa. Tragédia grega propagada pela Psicanálise - mãe de todas as fábulas. Daí a Neurose como mecanismo de defesa da percepção incestuosa. Por isso Freud pode falar da impossibilidade da cura clínica. Apenas há projeções e transferências que passarão longe da consciência das pessoas a protegê-las da verdade. Uma visão miticamente trágica característica do Ocidente. No contraponto oriental a verdade desemboca na Androginia e a tragédia não existe. No seu lugar surge a união dos opostos entre feminino e masculino fazendo surgir à percepção de uma ciência religiosa como realidade, como realização sexual... Uma Cabala. Os vícios capitais são a neurose do povo que, impossibilitados de realizarem a vida na Androginia, são induzidos a tragédia grega obtendo prazer na confusão de fronteiras entre os gêneros. Mais uma dose de confusão? É claro que estão a fim! As psicopatologias fundamentais do Ocidente são características biológicas da irrupção do recalque, ou melhor, da tentativa "bem sucedida" de manter o recalque... Porém a luzinha no final do túnel com a verdade incestuosa ameaça romper e matar o ego, matar a neurose. Para tirá-la de foco cria-se uma mania, um cacoete, uma gagueira... Uma epilepsia talvez! No entanto essa percepção momentânea do foco incestuoso condiz de uma ligação biológica direta com a experiência sexual........

segunda-feira, 20 de março de 2017

A UNIDADE DUAL OU O REAL É POSSÍVEL

Somos uma unidade que viramos dualidade ao adquirirmos a consciência sobre nós mesmo. A razão torna-se o duplo diante do espelho, onde não tem diferença entre quem está dentro e quem está fora. Outro ser humano unidade-dual, torna-se a trindade que dará forma a comunicação do pensamento através da linguagem inserindo a realidade como possível para quem está se comunicando. O real é possível tal qual a linguagem. Numa comunicação há sempre três pessoas possibilitando a realidade: eu, meu duplo e a pessoa com quem converso. Por sua vez a pessoa que conversa comigo também participa de uma trindade: ela, seu duplo e eu. No total são quatro pessoas conversando, mas na perspectiva de cada uma delas existem apenas três uma vez que nenhuma ver o duplo da outra apenas o seu. A maioria das pessoas não enxerga seu duplo quando estão se comunicando, mas é ele quem vai buscar e traz as referencias elementares arquivadas na memória que norteia a conversa possibilitando a comunicação. Isso parece muito com o teatro ou o princípio da arte de atuar, criar, sonhar acordado, atravessar o espelho. Nessa unidade dual de ser, ansiamos em calar nosso duplo rumo à paz da unidade perdida. O sono tem essa função de remeter-nos a origem da unidade cujo sonho torna-se uma fábrica de realizações que estão além de qualquer trindade possível da realidade material. De volta à origem da unidade tudo é possível por haver uma conexão com o todo do infinito cósmico. Tal conexão onírica da unidade possibilita realizações infinitas na teia cósmica de comunicação universal. Eis a importância de dormir e sonhar: é preciso sempre voltar às origens como forma de abastecer as energias para continuarmos a aventura dual de realização na matéria encarnada. A espiritualidade não deriva da matéria. É a matéria que deriva da espiritualidade. Então sonhar é como morrer uma vez que estamos completamente ausentes da matéria. Isso explica a insônia como sintoma clínico atual. Ninguém quer morrer. Pior, ninguém quer ver que já estamos todos mortos, por isso o medo de dormir. As próprias engrenagens do sistema capitalista atual não permitem a experiência de morte, apesar de nos matarem todos os dias através das suas simulações midiáticas da realidade. Insistimos em manter essa realidade simulada que para sustentá-la é preciso de muito dinheiro. Eis onde o dinheiro toma uma proporção mágica de infinitas possibilidades de realização do real. A unidade dual necessita do Outro como trindade para realizar o real. A trindade dá forma aos pensamentos que passam a constituir o real. Isso torna a percepção do mundo como mágico, repleto de possibilidades, onde os sonhos tornam-se realidade. Uma fonte de conexão para poder apanhar as estrelas na Terra. Mas a máquina dual tem a possibilidade de se conectar com o seu duplo e tornar-se unidade novamente, atravessando a grande cortina de projeção da realidade metalinguística, atingindo uma percepção da realidade que está além dos jogos de palavras e sua alienação. O real é possível!

sábado, 18 de março de 2017

Sábado de altas ondas em Snapper Rocks

SUPER-HOMENS


O "sujeito" morreu, estamos vivendo numa zona morta. Como tudo se tornou artificial ao ponto dos sentimentos virarem produtos, as pessoas nem sabem direito quem elas são, como poderiam se dá pra alguém? Eu sei quem sou porque pratiquei esporte desde criança fazendo-se sentir meu corpo e tendo a coragem de sentir a dor da diferença. É nesse sentido que devemos praticar a Meditação e a Yôga, para descobrirmos quem somos e renascermos de novo.....

sexta-feira, 17 de março de 2017

quinta-feira, 16 de março de 2017

Drive (Original Mix) ~ Kenneth Thomas feat. Roberta Harrison & Steven Taetz

A FORÇA DA RAZÃO

...à medida que cresce o poder da razão, cresce também o gosto pelo mal? Então não é razão! Razão é luz e isso afasta qualquer fantasma, qualquer maldade, uma que vez que o mal só existe porque o criamos nas sombras do inconsciente. Existe uma grande diferença entre "ciência" e "ciência positivista". As questões da matéria e do espírito são do campo da Ciência, enquanto que a "ciência positivista" preocupa-se apenas com o campo da matéria, legado a Igreja o campo do espírito. Mais uma vez separação onde não existe. Quem sabe definir as fronteiras da matéria e do espírito na psicanálise? Mistos mal analisados como diz Deleuze. Foi aí que a "ciência positivista” passou a ser desacreditada. Mas continuamos a acreditar nela por falta de opção e achamos que ela realmente não resolve problemas e sim os cria. A problemática psicanalítica se coloca mais uma vez, no sentido das suas fronteiras. Quem cria guerras, inventando falsos problemas é a “ciência positivista”. A própria “bomba atômica” mostrou-se como um falso sol, servindo apenas para o poder propagar sua força através do terror. De nada serviu para o progresso da humanidade em termos de soluções para seus problemas. A tarefa do poder é inverter os códigos significantes da linguagem simbólica, transformando o bem em mal. Nosso amigo Nietzsche já nos deu essa lição em “Genealogia da Moral”. A maldade toma uma proporção natural da condição humana que nos encurrala no canto da caverna. Questiono a existência do inconsciente platônico cavernoso. Melhor, existe vida fora do inconsciente. Então, encontrem as verdades!

quarta-feira, 15 de março de 2017

YAMOU - Ian Gouveia

FOTOGENIA_DE_UM_CAMPEÃO_MUNDIAL_DE_SURF

http://stabmag.com/news/john-john-florence-first-interview-world-champion/



TECNOLOGIAS FABRICAM DOENÇAS

A hiperatividade, doença que atinge a maioria das crianças hoje, está diretamente relacionada com o aparelho de radiodifusão chamado Televisão. Na biografia dessas crianças a TV está lá como constituição psicobiológica. O comportamento hiperativo se caracteriza como continuidade da transmissão radiofônica depois que o aparelho é desligado. Essas crianças sofrem de um continue radiofônico de transmissão televisiva informacional. Não adianta praticar esportes como forma de desligamento dessa transmissão, porque elas continuam hiperativa mesmo depois de gastarem muita energia no esporte. Precisamos rever nossos valores e percebermos a TV como um aparelho transmissor de doenças e psicopatologias graves. O mundo é controlado e fabricado pela TV e por isso a “ciência positivista” nunca irá comprometê-la a esse nível. Então, salve-se quem poder. Livrem seus filhos dos artifícios psicopatológicos da radiação televisiva mostrando para eles que existe vida sem transmissão radiofônica informacional. A dificuldade afetiva dos pais é substituída pela afetividade televisiva de radiodifusão, propagando a alienação doentia que destrói nossas crianças e compromete o futuro social.

terça-feira, 14 de março de 2017

The Verve - This time

A ARTE NÃO É FEITA POR ARTISTAS

Assim como a ciência é feita por políticos a arte também. A máquina do Estado tem como função vigiar uma ciência que é livre por natureza – a ciência nômade. O autodidatismo se constitui como uma “máquina de guerra” que não tem a guerra como principio, mas a guerra entra como defesa contra um Estado que se dirige para eliminar a percepção livre de se movimentar e fazer ciência em benefício de um todo, de uma cultura, de um social. O Estado se caracteriza como uma “máquina de captura” a caçar as partículas livre de saber e construção social nômade da “máquina de guerra”. Por sua vez a “máquina de guerra” tem com arma o afeto, a capacidade de afetar os campos fixados de estagnação do Estado que perpetua a mesmice como forma de manter o poder no prazer de manipular a vida do seu povo cujo destino “encontra-se” em suas mãos.

segunda-feira, 13 de março de 2017

121 ANOS DE PSICANÁLISE E O MUNDO CONTINUA CADA VEZ PIOR

Vocês ainda percebem o vazio como ausência de objetos... Uma forma de proteger o corpo da parafernália de imagens/objetos que compõem o infinito cósmico. Não existe vazio! Ele existe apenas como ilusão/alienação para que não se veja a verdade. Nem todo mundo pode ver Deus, só os puros. Psicanálise é ciência e é religião... FUNÇÃO PSICANALÍTICA: Preservar os corpos dos cidadãos da percepção de Deus, protegendo-os da morte, preenchendo o vazio (da não percepção) inserindo-os na engrenagem do sistema maquínico da pirâmide social atual chamada MATRIX. Ela vigia as fronteiras do possível. Essa é a minha afirmação sobre a psicanálise. Mas se para você não é ciência nem religião, o que é então? No entanto todos os seus conceitos encontram-se nos tratados de filosofia antigos que tem ciência e misticismo como verdade sobre a realidade que vivemos. Quanto mais estudo cabala, mais entendo a psicanálise. Não é uma questão de interpretação, mas de concepção. Não leio muita coisa de Freud muito menos Lacan, mas compreendo a psicanálise na sua origem cabalística. Podemos nos achar "modernos" por termos "escovas de dente", "carros a gasolina" e "sabonetes", mas as verdades absolutas (ciência e misticismo) ainda são as mesmas desde os primórdios da nossa era primitiva, quando usávamos o sacrifício humano para impor medo e poder (Totem e Tabu). Lacan ao invés de falar de Deus, fala do Pai biológico como Deus. Limitando nossa percepção de Deus como homem. Ninguém compreende a psicanálise sem passar pelo seu processo iniciático, já conversamos sobre isso. No mais, a clínica psicoterápica não se resume aos consultórios de psicologia e psicanálise e tão pouco a psicanálise é o único meio para se iniciar nos mistério da vida. Se afirmo que conheço a psicanálise está claro que essa afirmação não se limita aos conteúdos teóricos. Quem só tem teoria não afirma nada na vida, só copia os modelos em “blocos de notas” da representação do sujeito. O que encontro em livros são confirmações daquilo que tenho em prática e a partir daí posso afirma como verdade ou mentira (intuição como método científico). Não sou um psicanalista porque não comungo dos seus dogmas. Não faço parte dessa escola mística de iniciação dos mistérios da vida, como qualquer outra sociedade secreta mundo a fora. Minha iniciação nos mistérios da vida se deu aos cinco anos de idade quando comecei a praticar esporte radical (bicicross), dando inicio a busca do segredo. Nasci em 1975, por tanto, num mundo completamente psicanalisado. Comecei cedo meu processo psicanalítico sem nem conhecer a própria conscientemente e muito menos enfurnado dentro de uma sala cheirando a mofo de sarcófago egípcio. Encontrar a psicologia por “acaso” 20 anos depois foi algo genial, provando que minha consciência não está só dentro da minha cabeça. A psicanálise está lá fora, por todos os lugares.

sábado, 11 de março de 2017

ZHU - Superfriends

112 ANOS DE PSICANÁLISE E O MUNDO CONTINUA CADA VEZ PIOR

Por que ao invés de melhorarmos culturalmente após 100 anos de psicanálise estamos cada vês mais dilacerados? Que tipo de operação está sendo aplicada em nossa cultura para que ela avance materialmente e regrida espiritualmente? Se a falta é estruturante e a completude não existe, qual o sentido da vida então? Nessa perspectiva faltante só me resta o niilismo/consumismo ou espiritualismo/fanatismo! É o que vemos todos os dias nos noticiários. Sempre os extremos e nunca o caminho do meio.

A psicanálise vigia as fronteiras do possível, impedindo que as pessoas ultrapassem a fronteira mística do gozo pleno e encontrem a completude. Ela nega com fé inabalável a experiência de completude implícita no gozo místico. Sabemos que o livro “Mal Estar na Civilização” e “Futuro de uma Ilusão”, foram escritos para fechar as portas que um psicanalista chamado Wilhelm Reich ousou abrir e ultrapassar a fronteira entre Religião e Ciência.

O supereu não se encontra apenas na minha cabeça, ele encontra-se na arquitetura institucional da nossa cultura. Todas as instituições estão impregnadas do poder do supereu operando a castração como estrutura. Toda a nossa educação é baseada no sacrossanto dogma psicanalítico da falta que por sua vez advêm da religião.

Psicanálise é Religião ou Ciência? Psicanálise é Religião e é Ciência e a sua força está exatamente aí onde ninguém consegue enxergar e ela própria faz questão de velar – o caminho do meio. A psicanálise não é castrada é castradora! A castração opera o mecanismo de separação do homem com a natureza, separa a mente do corpo. Um homem castrado é um homem negado duas vezes (a si mesmo e o outro) cuja afirmação se dará na obediência as instituições culturais: o Outro.

Para nós esquizoanalistas, não existe castração e o gozo místico da união do homem com a natureza é a nossa meta. Ultrapassar as fronteiras do proibido vigiadas pelo dogma psicanalítico do supereu institucional. A psicanálise tem relação direta com o Poder e está na base de todas as ciências ditas humanas: Direito, Publicidade, Educação, Jornalismo, Cinema, Teatro, etc. Não por que a castração é fundante, mas por que a castração é um mecanismo de poder operante.

O pai da Publicidade Edward Barnays, é nada mais nada menos que o sobrinho do pai da Psicanálise. Qual a relação da Psicanálise com a Publicidade? Poder! Mas a Psicanálise que se aplica na clínica é diferente da aplicada em outras áreas... Claro que não. E se for, perde todo o sentido da clínica uma vez que o social, através da Psicanálise aplicada em outras áreas,
desfaz todo o trabalho clínico de “conscientização” homem-cultura.

Somos globais não por que a castração é a nossa “essência”, mas por que ela é a nossa subjugação. Quantas culturas foram e estão sendo devastadas por essa operação capitalista global “fundante”? Se a castração fosse fundante o mundo não estaria em ruínas. Ou então, como o próprio Freud disse: a humanidade é doente e a cura é o futuro de uma ilusão. Devemos nos conformar com a miséria neurótica e cada um que se cure aqui e ali com seu analista eterno, pois a doença é infinita e estruturante. Nossa individualidade doentia tem um estilo, encontre o seu na Psicanálise de Joel Birman.

A falta é estruturante do Poder e bugiganga alguma completará alguém. Não somos originais constituídos de um “objeto completo” faltante. Somos artificiais, inventados pela engrenagem das máquinas modernas panópticas, fabricados por “objetos parciais” constituintes da extensão do nosso corpo.

Somos quimeras e a observação desses “objetos parciais” que nos cercam como bugigangas, constituem nossa personalidade. Nosso objetivo é organizar nossa personalidade através dos “objetos parciais” no intuito de deixarmos de ser quimeras e atingirmos uma perfeição diante dos mistérios da natureza e seus códigos de máquinas, abrindo uma nova perspectiva de se viver em sociedade cuja natureza esquizofrênica o capitalismo nos possibilitou.


Somos máquinas desejantes e não máquinas faltantes. A máquina que deseja cria. A máquina que falta copia. O desejo é a nossa alegria enquanto a falta é o nosso mal estar em civilização. Então pra que serve a Psicanálise se nossa estrutura é a doença? Serve para propagar o Poder e a doença, nada mais.

terça-feira, 7 de março de 2017

Vangelis - Blade Runner Blues (Tokyo by Night)

DEUS

Quando tive minha experiência de morte, conheci Deus. Passei a entender as engrenagens da vida a partir da morte. Então tudo ficou claro e não tive mais medo de viver. Porém quando fui estudar psicologia, a academia aplicou um mecanismo de separação entre "ciência" e "religião", fazendo-me duvidar da existência de Deus em minha experiência. Daí nossas discussões a cerca de Deus.  Quando Nietzsche diz que Deus morreu, ele está a dizer que a "ciência positivista" matou essa verdade absoluta entre ciência e religião, encontrando no mito de Dioniso essa união perdida. Na verdadeira ciência está contida a religião e na verdadeira religião está contida a ciência - essa é a verdade absoluta. Como o nascer do sol todas as manhãs. Existe a verdade absoluta sim, nunca esqueçam isso. A ciência chamada "positivista" controla as passagens que levam a essa verdade (ciência = religião).  Einstein com sua teoria da relatividade consolidou de vez com a multiplicidade das coisas, deixando-nos completamente a deriva no mar das possibilidades infinitas da "ciência positivista". Se havia esperança de que um dia pudéssemos resgatar nossa união perdida, Einstein acabou de vez com ela. Mas foi quebrando tudo, espalhando o "símbolo sagrado" em mil pedaços, que ele pode também trazer de volta Deus. Mas para a percepção de poucos. Só os verdadeiros cientistas conseguem enxergar. Talvez seja isso que está por vir em 2012: a verdadeira percepção de Deus. Ou seja, que já estamos todos mortos. Não vai haver morte para quem já se encontra nela, mas para aquelas pessoas que acham que estão vivas e não encontraram Deus no coração, haverá muita destruição.  Século XXI: Deus não morreu! Sim, por que agora a "ciência positivista" está a trabalhar em cima de coisas invisíveis e isso é Deus. A multiplicidade infinita é Deus. A "ciência positivista" continua negando Deus apenas pelo fato dela se coloca no seu lugar, passando a fabricar espíritos com sua tecnologia maligna, induzindo-nos a uma percepção relativa de tudo e de todos. Na verdade, essa experiência da relatividade das coisas nos introduz no mundo dos mortos, através da percepção do infinito. Atravessamos a linha que separava a vida da morte. Vida e morte se completam assim como ciência e religião. Não existe ciência sem fé, assim como não existe religião sem ciência. Ciência sem fé é destruição (niilismo) e religião sem ciência é fanatismo (loucura).  Eis a verdade absoluta desse mundo: nós é que morremos e nessa morte acabamos encontrando Deus novamente, ou quem sabe verdadeiramente. Eis a "Arca da Aliança" agora representada nessa percepção da morte em vida e Deus pulsando dentro de cada um de nós - "A Arca Viva no meio dos homens.".

segunda-feira, 6 de março de 2017

BLADE RUNNER 2049 Official Teaser HD

MÁQUINA DESEJANTE CELIBATÁRIA

A máquina desejante sucumbe no caos das verdades efêmeras da circulação de informações. Perde o objeto de desejo e lança-se desesperadamente no mundo. Na verdade ela nunca perdera o objeto de desejo uma vez que nunca o obteve de verdade. Todas as suas conquistas foram apenas ensaios do que imaginava está vivendo. Fluxo de esperma, gozo desenfreado, linha de fuga perigosa... Uma questão de corpo sem órgãos. Percepção invertida da lógica natural. Puro capitalismo injetado na veia. E para não consumir: sexo, muito sexo. Liberdade na lubrificação desejante da simulação do capital lacaniano. Lógica natural invertida por se tratar de uma falsa liberdade representada pelo prazer. Sinto de castidade onde tudo é sexualmente psicanalisado. Mas, eis que o sol brilha novamente, trazendo o artista, o brincante, o lúdico. Antídoto para todas as trevas. A “lógica do sentido” é abrir conexões entre mente e corpo. Pensamentos são chaves virtuais de abertura corporal – esse é o jogo. Assim, o que acontece quando o pensamento impõe ao corpo a sua lógica natural e freia o fluxo de esperma capital? Liberta o corpo do movimento a que estava habituado. Toda sublimação é celibatária. A criação demanda equilíbrio de forças onde o celibato torna-se necessário. Estou a falar da pedra filosofal. Canalização de energia. Movimento contrário ao do capitalismo que trabalha com dispersão. Como é fácil perceber a destruição de nossa civilização cujo caminho é contrário a natureza. Uma vez que o corpo se acostuma com os desejos de simulação do capital lacaniano, torna-se complicado deixar os vícios. É preciso muita lógica de sentido para seguir viajem sem cair nos “buracos-negros/muros-brancos” que circulam nas redes midiáticas de tecnologia limpa. A máquina desejante aos poucos vai sentindo a desoxidação de suas engrenagens virtuais. Entra num estado de meditação profunda, intui organizar seu corpo como forma de equilibrar o mundo fora de si. Torna-se agora uma máquina abstrata, cuja abstração tem a função de interferi na simulação platônico-lacaniana. Ciclotron: a máquina abstrata de criação do corpo sem órgãos.

domingo, 5 de março de 2017

AS FORÇAS ERRANTES

Um sentimento vago, que poderíamos chamar de INCONSCIENTE, agita o homem moderno e o atormenta. Sente em si forças ociosas, crê sentir que se agitam ao redor de si inimigos sem formas ou auxiliares desconhecidos. Tem, muitas vezes, necessidade de crer no absurdo e experimentar o impossível; ou então sente-se doente e alquebrado, tudo lhe escapa, e quereria torcer o desespero para dele sair uma esperança nova. O amor o enganou, a amizade o abandonou, a razão não lhe basta mais. Um filósofo o entristeceria; um psicólogo o espantaria; é então que lhe é necessário um psicanalista!

O psicanalista é o domador dos hipócritas da imaginação e das serpentes da fantasia. Tira uma força das nossas fraquezas e compõe uma realidade com nossas quimeras; é o médico homeopata da loucura humana. Alias não é ele mais que um homem? Não tem ele uma missão legítima cujos títulos de nobreza remontam ao teatro grego? Falo aqui da METAPSICOLOGIA freudiana e, de fato, só esta existe. Só a METAPSICOLOGIA tem psicanalistas, porque só eles tem o “palco” e a “representação”, isto é, todo o teatro social. Jacob Levy Moreno quis ser um psicanalista quando criou seu PSICODRAMA, mas ele não possuía a legitimidade da METAPSICOLOGIA.

Exercer a PSICOLOGIA é fazer concorrência ao sacerdócio psicanalítico. É ser um psicanalista dissidente. A Alemanha é a grande Tebas da nova iniciação. Ela moveu outrora os ossos dos seus mártires para combater os deuses evocados pela PSICOLOGIA. Tem como criptas seus laboratórios experimentais, como talismãs o símbolo PSI, como cadeia científica suas congregações do anel, como focos magnéticos suas sociedades, como centro de atração seu divã, como meio de expansão suas cátedras, a imprensa e as ordenações de seus psicanalistas; enfim, tem FREUD; seu papa, o homem-Deus visível e permanente na terra, seu papa que pode ser um tolo como o são, mais ou menos, todos os fanáticos ou celerados como Hitler, mas nem por isso deixará de ser o regularizador dos espíritos, o árbitro das consciências e, em todo o universo da psicologia, o distribuidor legitimo da indulgência e dos perdões.

É insensato, ides dizer. – Sim, é quase insensato à força de ser grande. É quase ridículo; tanto isso ultrapassa o sublime. Que poder igual jamais apareceu na terra? E se ele não existisse quem ousaria inventá-lo? Como se produziu esse efeito imenso? Donde vem esse prodígio que parece realizar o impossível? – Da concentração das forças errantes, da associação e direção dos instintos vagos, da criação convencional do absoluto na esperança e no INCONSCIENTE.

Gritai agora contra o monstro, psicólogos do vigésimo primeiro século! O monstro é mais forte que vós e vos vencerá. O poder fundado nos mistérios deve ser um poder misterioso, pois noutro caso não existiria mais. Creio que o psicanalista pode alguma coisa que não poderei definir por causa de outra coisa que não compreendo e também ele não compreende. Portanto, devo obedecer-lhe, pois não poderei dizer porque não obedecerei, não podendo negar a existência do que não sei, existência que, alias, ele afirma com igual razão. Sinto que isso não é razoável e estou muito satisfeito com isso porque ele me diz, muitas vezes, que é preciso desconfiar da RAZÃO. Somente acho que isso me faz bem e que pensar assim me tranquiliza.

Amores abortados ou desiludidos, ambições repelidas; raivas impotentes, ressentimentos amargurados, orgulho que aspira a descer, preguiça do espírito cansado pela dúvida, arroubos da ignorância para o desconhecido e, principalmente, para o maravilhoso, temores vagos da morte, tormentos da má consciência, necessidade do descanso que nos foge sem cessar, sonhos sombrios e grandiosos dos artistas, visões terríveis da eternidade. Eis aí as forças errantes que a METAPSICOLOGIA reúne e com as quais forma uma paixão, a mais invencível e a mais formidável de todas: a devoção!

Está paixão é sem freio, porque nada pode retê-la ou limitá-la; ela se gloria dos seus excessos e crê que o INCONSCIENTE começa por ela; ela absorve todos os sentimentos, torna insensível tudo que não é ela e leva o zelo da propaganda até o despotismo mais assassino e até o furor mais implacável. Hitler e Stálin são reconhecidos como tais por toda a METAPSICOLOGIA e não podem ser renegados por um psicanalista submisso e de boa fé.

Compreende-se quanto a devoção pode tornar-se uma poderosa alavanca na mão de uma autoridade que se declara infalível. Dai-me um ponto de apoio fora do mundo, dizia Arquimedes, e eu deslocarei a terra. Os psicanalistas encontraram um ponto de apoio fora da RAZÃO da humanidade:

“Vendo que os homens não chegavam ao conhecimento de Deus pela ciência e a razão, aprouve-nos – diz o príncipe das trevas – salvar os crentes pela absurdidade do INCONSCIENTE!”

Adversários da Psicanálise, que tendes vós a responder aqui? Jung e Reich falam, como diz, com a boca aberta e não pretende enganar ninguém.

A força METAPSICOLÓGICA do dogma está nessa obscuridade que faz sua obscuridade aparente. Um dogma explicado não é mais um dogma, é um teorema de filosofia ou, ao menos, um postulado. Querem sempre confundir a METAPSICOLOGIA e a PSICOLOGIA, e não compreendem que a sua separação e a sua distinção, não digo o seu antagonismo, são absolutamente necessárias para o equilíbrio da RAZÃO.

Os astrônomos pensam que os cometas são errantes apenas em relação ao nosso sistema, porém seguem um curso regular que vai de um sistema a outro e descreve uma elipse cujos focos são dois sois.


O mesmo acontece com as forças errantes do homem. Uma só luz não lhes basta e, para equilibrar seu voo, lhes são necessário dois centros e dois focos: um é a RAZÃO e o outro o INCONSCINTE. 

sexta-feira, 3 de março de 2017

CORKED ALLEY-OOP?

https://www.redbull.com/br/pt/surfing/stories/1331847340417/julian-wilson-em-wayward-talvez-o-melhor-filme-do-ano

INVERTENDO O SENTIDO “NATURAL” DAS COISAS

Nossos vícios são artifícios. Chegou a hora de tomarmos o rumo contrário desse barco. Características ditas naturais não passam de programas de máquinas. Somos artificiais até dizermos basta! Eu digo NÃO aos artifícios condicionadores biológicos criados pela máquina de simulação. Eu digo SIM a união natural dos sexos cujo filho de Deus é o andrógino. Novo mapa psicobiológico da humanidade:
00. Não há mais pressa de chegar a lugar algum uma vez que já estamos lá.
01. Comer o suficiente para manter a energia necessária do corpo, mantendo sua elasticidade natural.
02. Liberar para todas as pessoas do mundo o conhecimento cognitivo adquiridos durante a vida.
03. Alcançar a iluminação através do ato sexual, encontrando seu significado estelar, livrando-se da sua necessidade.
04. Não existe mais morte: eliminação da maldade no mundo.
05. Sem maldade não há mais espaço para a inveja.
06. Não há mais projeção judaica de simulação pessimista natural da vida proporcionando depressão e preguiça.
07. Atravessando o espelho e encontrando a natureza do outro lado onde tudo se sabe, eliminando qualquer tipo de soberba e vaidade.

quinta-feira, 2 de março de 2017

DO SILOGISMO DA PSICANÁLISE

Freud foi atacado de sexista com a sua teoria da sexualidade infantil. Logo teve que distinguir sexualidade de sexo. A psicanálise fala de sexualidade e não de sexo propriamente dito, defende-se Freud. Mas o fato é que essa explicação não basta para se defender da acusação sexista da sua teoria. É preciso entender que Freud trabalhou sua teoria para ser aceita no âmbito mundial seguindo o dogma científico chamado positivismo. Mas falta uma peça nesse jogo: onde fica a espiritualidade nisso tudo? O verdadeiro problema se coloca: sexo = sexualidade = espiritualidade. Eis a chave para compreender o mistério. Fala-se de sexualidade numa conotação científica positivista que faz reverberar no ato sexual. Sexualidade e sexo se confundem o tempo todo em nossa sociedade. A máquina social continua a produzir pedofilia advinda dessa confusão de fronteiras. Por mais que os psicanalistas tentem distinguir sexualidade de sexo, eles não conseguem, pois é importante que não saibamos de determinadas coisas. Só os psicanalistas possuem o conhecimento. São sacerdotes iniciados nos mistérios da Cabala. Escravos do saber. Divina analise. Pois bem, no que diz respeito à problemática sexualidade/sexo, temos a solução e vamos revelar em nome de Reich: a sexualidade nos remete a espiritualidade. Como a ciência positivista não aceita a espiritualidade como objeto de estudo, os psicanalistas são obrigados a olharem apenas para baixo – o sexo. A Metapsicologia (espécie de religião científica) tornou-se uma das ciências positivistas fundadoras do século XX, ao lado de Marx e Einstein. Dessa forma temos sua teoria entranhada em nossos corpos desde o começo do século passado. São mais de 100 anos vivendo uma sexualidade sexual. Vivendo trancados dentro de um cinto de castidade. A psicanálise não explica nada só complica. Descaracteriza a sexualidade quando não mostra a outra metade da peça que compõe o jogo. Sem a sexualidade espiritual somos reduzidos a símbolos sexuais. Tornamo-nos objetos de uma sociedade sexista, fetichista, demonista. Freud: príncipe das trevas. Perceber que existe um triângulo pra cima em comunhão com um triângulo pra baixo cuja sexualidade encontra-se no meio, eis nossa vitória. O Sol voltou a brilhar mais uma vez. Do mal, foi queimada a semente. O amor é eterno novamente.

quarta-feira, 1 de março de 2017

Shing02 & Iprofess - Lift The Fog Up

PSICANÁLISE NÃO É PSICOLOGIA!

A Psicologia é nossa Razão e não isso que estamos acostumados a ver nos alicerces sociais. "ISSO" que vemos chama-se METAPSICOLOGIA e fere profundamente nossa inteligência ao evocar nossos instintos mais primitivos tipo um bebê que chora pelo peito materno.